O JEJUM
 

Nossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria, convida Seus filhos a jejuar pela Paz.
Ela explica que, quando oferecido de maneira sincera e amorosa, o jejum ajuda a reverter a situação de aflição de muitos corações no mundo. Ela diz:

Meus pequenos filhos, nunca esqueçam para este tempo
o dia de jejum. 
O jejum feito com o coração repara os sentimentos.
O jejum feito com amor restaura os conflitos.
O jejum feito com paz lhes trará mais paz”.

Este exercício leva cada alma a caminhar para a consagração no Imaculado Coração de Maria. Com o jejum, alivia-se o peso das faltas cometidas ao Sagrado Coração de Cristo, alivia-se o peso que carrega cada uma de nossas almas e as almas do mundo.


O jejum de Jesus

Como Rainha da Paz, convido-os a considerarem em suas vidas esses simples exercícios espirituais, que foram grandes chaves para a salvação de muitas almas quando Cristo esteve entre vocês sobre a Terra.

Os quarenta dias de jejum de Meu Filho Jesus significaram a união definitiva de Seu Coração Humano com o Coração Espiritual de Deus; foi a aliança que permitiu a Jesus viver a Paixão, a Morte e a Ressurreição. E a essência de todo esse mistério foi a oferta de amor à vontade de Deus que emanou do Coração de Meu Filho".


Com facilidade esquecemos quão importante é o jejum para nossa vida e inclusive, quando o praticamos, temos a tendência a convertê-lo em um hábito rotineiro, sem sentido. Para evitar isso, Nossa Mãe nos adverte:

Cuidem, Meus pequenos filhos, para que os dias de jejum não se tornem dias de dieta. O jejum sem a intenção do coração perde a força e não atua como deveria atuar neste mundo.
Por isso também, Meus filhos, é que seus corpos perdem o incentivo de jejuar – por não ter a intenção correta ao fazê-lo.
A intenção do coração e o propósito claro do que significa essa ação reparadora é o que dá sentido aos dias de jejum, e não tanto o que estão jejuando.
O propósito primordial do jejum é a Paz, é a salvação das almas”.

Jejuar, mas não só de alimentos físicos, já que esse exercício deve ser acompanhado por um jejum de sentimentos, de pensamentos, de palavras, de ações instintivas e precipitadas.

Jejuem também de juízos, de discussões, de competições e ofereçam essa intenção sincera pela reparação do Coração de Cristo e pela salvação das almas”.
 

Maria se refere a um jejum do coração, em que cada ser oferte o que puder pela Paz. No Céu essa oferta será muito bem recebida.

Como Mãe, contemplo e aceito todas as suas sinceras ofertas de jejum.
Aos que estão doentes, peço-lhes jejum de palavras e muita oração;
aos que têm corpos firmes e jovens, peço-lhes jejum a partir da consciência e do coração, ofertando tudo ao Criador; aos mais dispostos ao sacrifício, peço-lhes jejum de pão e água, como pedi a Meus filhos uma vez em Medjugorje”.

Trata-se de nos animarmos a realizar pequenos sacrifícios que sejam agradáveis ao Coração do Pai, mas que não sejam martírios. Ela sabe que cada alma é única, por isso a cada uma pede sacrifícios diferentes. E sempre realizados por amor, já que cada ato que se faz com amor tem mais valor que aqueles que se cumprem apenas por obediência.

O jejum nos permite ver além de nossas vidas, e, por meio desse pequeno sacrifício, muitas coisas se convertem dentro de nós e no mundo.
Ela nos indica o que cada tipo de jejum traz às nossas vidas:

  • Jejum ingerindo apenas água: para trazer a pureza a nossos corações e irradiar essa pureza ao mundo.
  • Jejum se alimentando somente de arroz: para viver a austeridade e a pobreza - pobreza de coração, de alma e de espírito.
  • Jejum se alimentando somente de frutas: para trazer a paz e a harmonia.
  • Jejum se alimentando somente de pão: para que nunca nos esqueçamos de Seu Filho, que é o Pão da Vida.
     


Nossa Senhora também compartilhou os resultados tangíveis do jejum e da oração, no plano de Deus para este mundo. Na mensagem de 7 de setembro de 2013, durante a Jornada pela Paz no Mundo impulsionada pelo Santo Padre Francisco, Ela diz:

Queridos filhos, quero dizer diante dos Poderes Celestiais que seu amadíssimo Pai, por intermédio da ação de Suas criaturas na Terra, pôde derramar Sua Misericórdia que, com o transcurso do tempo, tocará o coração dos que o têm fechado, para que a paz no  Oriente Médio seja alcançada.

Por esse motivo, o que estava previsto para suceder nos próximos meses foi transformado em futuros meses de conversão, redenção e paz. 

Todas as almas que hoje no mundo rezaram o Santo Rosário pela Paz e o Terço da Divina Misericórdia despertaram para a Vida Suprema do Paraíso e isso gerou que milhões de almas presas nos abismos da Terra alcançassem o caminho infinito da luz de Deus”.

Vemos como diante de um mínimo sacrifício o Céu encontra caminhos para derramar sua Misericórdia sobre todas as criaturas.


Somos convocados então para realizar esta oferta, esta doação por amor, às terças-feiras e aos sábados, como preparação para a Vigília com Cristo, a Nova Páscoa:

Queridos filhos, as terças-feiras e os sábados serão de especial misericórdia para os corações que aspirem a responder ao chamado de jejum pela Paz: na vida do mundo, pela Paz nas nações, pela Paz no propósito dos homens, pela Paz na humanidade e, em especial, pela Paz das almas no purgatório, que também devem alcançar a Graça da Paz”.


Deus tece através de Minhas orações Seus benditos e misericordiosos propósitos para cada uma das almas”.
                                                                          Maria, Mãe da divina Concepção da Trindade